Alberto Hurtado Do coração às mãos − amar e servir!

dez 1, 2023Assinante, Dezembro 2023, Revistas, Testemunhas do Reino0 Comentários

Era o ano de 1979. Na cidade de Puebla de los Angeles, no México, reuniram-se, para a 3a Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, os bispos do continente. Em sua quarta parte, o documento preparado pelos epíscopos oferece-nos, em quatro linhas bem demarcadas, o que era necessário para a evangelização no presente e no futuro da América Latina: opção preferencial pelos pobres, opção preferencial pelos jovens, ação da Igreja entre os construtores da sociedade pluralista, ação em prol da pessoa na sociedade nacional e internacional1.
Em sua caminhada vocacional que desaguou no sacerdócio, eis que o chileno Alberto Hurtado2 antecipou as orientações de Puebla em quatro décadas. Agora que celebramos os noventa anos de ordenação sacerdotal desse tão amado santo latino-americano e às portas de celebrar os oitenta anos da ação social Hogar de Cristo, fundada por ele para acolher os mais pobres entre os pobres, iniciemos por Viña del Mar a aventura de aproximar-nos de mais uma testemunha do Reino que nos interpela e impulsiona.

 

“Levánta-te y mírate las manos”3 FotosTestReinoN01Dez23

Era o alvorecer do século XX, quando alvoreceu a luz do mundo para aquele que receberia na pia batismal o nome de Luis Alberto Hurtado Cruchaga. Fruto do amor entre Alberto Hurtado Larraín e Ana Cruchaga Tocornal, o menino nasceu na casa de um tio paterno na cidade chilena de Viña del Mar, em 22 de janeiro de 1901. À infância difícil dele e de Miguel, o irmão caçula, veio se somar a morte precoce de seu pai. Dona Ana precisou vender a propriedade rural da família por muito menos do que valia, para socorrer a emergência em que ela e os filhos se encontravam. Inicialmente, foram se abrigar na casa de um tio materno, mas foram incontáveis as mudanças para tentarem se estabelecer e viverem com um pouco mais de dignidade. Para o primogênito foi providencial, conseguir uma bolsa de estudos no Colégio San Ignacio, mantido pela Companhia de Jesus, em que recebeu formação e essencial influência dos jesuítas, que ofereceram ao adolescente as riquezas do Ensino Social da Igreja, inaugurado com a Carta Encíclica Rerum Novarum: sobre a condição dos operários, publicada em 18914. Aluno meticuloso e aplicado, concluiu seus estudos com menção meritória em todas as disciplinas, uma vocação sacerdotal nascente e um coração inquieto diante das injustiças sociais que também ele viveu.

Com humildade, fiel aos orientadores, adiou o sonho vocacional, pois era preciso amadurecer seu desejo e ainda socorrer economicamente a mãe e o irmão. O jovem cheio de responsabilidades ia vivendo sua catolicidade como catequista, congregado mariano e membro do Apostolado da Oração. Sua fé em Cristo foi sendo desenhada com traços cada vez mais fortes de uma vida interior profunda, devocional, que se traduz em uma mente inquieta com mãos a serviço dos sofredores. Basta saber que, enquanto cursava direito na Universidade Católica do Chile, agravaram-se as condições de vida e trabalho do proletariado chileno, em consequência da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Alberto apressou-se em mobilizar os colegas para dar apoio jurídico ao operariado que padecia de desemprego e tantas outras injustiças sociais. Sua sensibilidade crítica, indignada e articulada, diante de tantos desmandos dos opressores, agigantou-se perante o assassinato de um grande amigo que tombou a seu lado, vítima da repressão em uma passeata pacífica em defesa dos trabalhadores. Também por isso, seguiu a vida universitária na dedicação às causas do proletariado, desde sua fé cristã, de tal modo que seu trabalho de conclusão de curso versou sobre a regulamentação do trabalho das crianças, exploradas com seus pais pelas sanhas do capital.

“Tráenos tu reino de justicia e igualdad” FotosTestReinoN02Dez23

Concluiu o curso universitário com distinção e homenagens da reitoria, mas em seu coração falava mais alta a vocação sacerdotal em vez do exercício da advocacia. Concomitantemente, mais uma vez, a providência de Deus socorreu-o e fez vislumbrar o que o Senhor esperava dele: a propriedade familiar, como que usurpada por preço injusto, após demorada ação judicial, foram reconhecidos os direitos de sua família e ressarcidos em valores que possibilitaram, entre outras coisas, que Alberto ingressasse no seminário jesuíta. Era a resposta de Deus às horas diárias dedicadas à oração que, brotando ardente de seu coração, suplicava de joelhos no chão diante do Santíssimo Sacramento.

Em 14 de agosto de 1923, há cem anos, ingressou no noviciado jesuíta da cidade chilena de Chillán. Seus estudos em preparação ao presbiterado foram desenvolvidos no país natal e também na Espanha, mas principalmente na Universidade Católica de Louvain, na Bélgica. Após dez anos de muita dedicação e estudo, desempenhando diferentes serviços, dedicadíssimo aos cuidados com sua espiritualidade e vida interior e aos educandos que passaram por sua vida em colégios jesuítas, para sua imensa e expansiva felicidade, Alberto Hurtado foi ordenado sacerdote pela imposição das mãos do cardeal Josef Ernest van Roey (1874-1961), em Louvain, naquele 24 de agosto de 1933.

Na Europa, assumiu como tarefas graduar-se em Pedagogia e estabelecer contatos para encontrar o professorado para inaugurar a Faculdade de Teologia na Universidade Católica do Chile (UCC). Nove anos depois de ter saído como seminarista do país natal, retornava como padre da Companhia de Jesus, indo atuar como professor de Pedagogia na UCC; nessa instituição, insistiu no bem que os esportes e a prática da educação física, combinados com os valores cristãos, poderiam fazer para os jovens. E foi entre as juventudes chilenas que ele encontrou um vasto campo de apostolado: pregando retiros, formando seminaristas, articulando a Ação Católica Operária, assessorando a Juventude Operária Católica (JOC), organizando semanas sociais para refletir sobre os muitos problemas enfrentados por rapazes e moças, pelos trabalhadores, pelos empobrecidos.

Em meio a tantas tarefas, acompanhou de perto a destruição do tão amado Seminário de Chillán, após um terremoto; ainda que ninguém ficasse ferido, as perdas materiais e organizacionais exigiram muito da energia de padre Hurtado. Incansável, em um retiro para senhoras de famílias abastadas, pregou com tanta ênfase e misericórdia sobre a necessidade de se conseguir um lugar para atender o Cristo-Sofredor na carne de tantos despossuídos que, ao concluir o retiro, tinha em mão um cheque de vultosa quantia, joias e a doação de um terreno. No mês de outubro de 1944, nascia Hogar de Cristo5, a obra social que marcaria a história do sacerdote tanto quanto a história de seu país ao espalhar-se a ação caritativa pela pátria chilena.

Também por conta de obra tão significativa, não foram poucos os dissabores com os coirmãos e os superiores por conta de seu modo de viver o cristianismo: tão original, tão revolucionário, tão questionador – quanta energia despendida para sanar desentendimentos e perseguições, inclusive por conta de sua proximidade e sua articulação com o operariado chileno.

“Para crecer, estréchala a tu hermano”

No decorrer do ano de 1947, ele foi para a Europa em busca de apoio para a Ação Sindical Chilena (ASICH) – um sindicato de princípios católicos com o rosto das juventudes na defesa dos direitos da classe trabalhadora. Padre Hurtado encarnava a Doutrina Social da Igreja em sua ação pastoral de modo exemplar, antecipando os preceitos do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962-1965) e da Conferência de Puebla. Na ocasião das viagens, por muito pouco, não morreu ao envolver-se em um acidente automobilístico na Espanha, dias antes de sua audiência com o papa Pio XII (1876-1958), que lhe concedeu pleno apoio para aprofundar os trabalhos da ASICH. Humanista que era, estabeleceu contato com grandes nomes do catolicismo da época; entre eles, visitou ninguém menos que o respeitado filósofo Jacques Maritain (1882-1973).

Corria o ano de 1952. O incansável andava enfermo e… cansado. Teve um infarto pulmonar. Ao saber que sua enfermidade era incurável, paradoxalmente e por causa de sua profunda vida interior, comunicava com alegria sobre seu estado de saúde tão preocupante. Em 18 de agosto de 1952, após um período de extensa agonia e sofrimento, o filho de dona Ana entregou-se definitivamente nos braços de Cristo, que tanto abraçou nas trabalhadoras e trabalhadores, nas juventudes, nos empobrecidos. O país chorou com os católicos, menções sobre seu apostolado na Câmara e no Senado chilenos; naqueles dias, nada menos que 43 artigos reverenciaram a grandeza de padre Alberto Hurtado.

Atualmente, ao celebrarmos dezoito anos de sua canonização pelo papa Bento XVI (1927-2022), olhamos para seu testemunho com a certeza de que sua profunda vida interior se ampliava na caridade assistencial, promocional e política. Tal qual esperou de Santo Alberto Hurtado, é também o que Cristo espera de nós: possamos dar-lhe um lugar que, partindo da profundidade do nosso coração ame-O com sinceridade e, por isso, chegue às nossas mãos, amando e servindo os irmãos e as irmãs, particularmente as juventudes e os empobrecidos. Assim seja!

Foto TestemunhasDoReino 01 recorteDez23

Notas

1 CONSELHO Episcopal Latino-Americano (Celam). Conclusões da Conferência de Puebla: Evangelização no presente e no futuro da América Latina. 4. ed. São Paulo: Paulinas, 1982. p. 352 ss.
2 BELTRÃO, Luís. Alberto Hurtado: fogo que acende outros fogos. São Paulo: Programa MAG+S Brasil/Loyola, 2021. (Conferir também: https://www.padrealberto
hurtado.cl/wp-content/uploads/Cronologi%CC%81a-de-la-vida-Biografi%CC%81as.pdf).
3 Os subtítulos mantidos em espanhol foram extraídos da canção Plegaria a um labrador, do compositor e ativista político chileno Victor Jara (1932-1973), assassinado durante a ditadura do general chileno Augusto Pinochet (1915-2006). Convidamos todos para audição em: https://www.hogardecristo.cl/.
4 LEÃO XXIII, Papa. Carta Encíclica Rerum Novarum: sobre a condição dos operários. Roma, 15 maio 1891. Disponível em: https://www.vatican.va/content/leo-xiii/pt/encyclicals/documents/hf_l-xiii_enc_15051891_rerum-novarum.html. Acesso em: nov. 2023.
5 Disponível em: https://www.hogardecristo.cl/. Acesso em: nov. 2023.

Autor

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *